segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

CRIANDO FILHOS PARA A GLÓRIA DE DEUS



     Em Dt 6.5-9, Deus desafia aos pais; mas principalmente ao pai, como o cabeça e sacerdote do seu lar, a ensinar a Sua Palavra a seus filhos. 

Como se dá esse ensino? De várias formas, eis aqui três:

I – Os pais ensinam pelo exemplo (versos 5-6).
 “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças. Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração (NVI)
A primeira e mais importante coisa que os pais devem fazer é zelar para que eles mesmos tenham um relacionamento pessoal, fervoroso e íntimo com o Senhor. Nada será mais impactante na vida dos filhos do que ver em primeira mão, na vida dos seus pais um profundo amor e devoção a Jesus e à Palavra de Cristo. Que a sua luz brilhe diante de seus filhos. Vocês são pastores: o seu templo é o seu lar; seus filhos e esposa, a sua congregação. Priorizem as coisas de Deus, seu Reino e justiça, e isso fará a diferença entre o céu e o inferno na vida de seus filhos.

II – Os pais ensinam com zelo (7-9).
Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas (...). Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões.” (NVI)
                Às vezes eu me sinto desanimado ao ensinar à igreja. Por quê? Porque preciso ensinar as mesmas coisas milhares de vezes, e na maioria delas não parece que o povo de Deus está compreendendo e obedecendo à Palavra. Mas sei que Deus está agindo.
                Os pais tem uma missão igualmente difícil: ensinar com persistência, porque a criança não aprende (no sentido de interiorizar e obedecer) com facilidade.                Em Isaías 28.13, Deus diz que ensinará o Seu povo como quem ensina a uma criança: “preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali”. Percebeu como se se ensina a uma criança? Você repete sempre e de novo os mesmos preceitos e regras. Ensinar a Palavra aos filhos é, também, um trabalho árduo, é preciso abrir aquelas cabecinhas duras e enfiar a Palavra de Deus lá dentro. Nossos filhos não são anjinhos, como gostamos de dizer; são, em potencial, futuros filhos de Belial, homens ímpios e profanos, adúlteros, assassinos, viciados em drogas, pornografia ou álcool; blasfemos e perversos, escravos das piores paixões da alma, amantes do diabo e do mundo.  
Como evitar que essas criaturinhas a quem tanto amamos se tornem herdeiros do lago de fogo e enxofre? Mas, antes, que sejam santos de Deus? Ensinando a elas, persistentemente a Palavra. Precisamos entender que é nossa responsabilidade, não do pastor, nem dos presbíteros e diáconos ou do professor da EBD ensiná-los. Não te deixes vencer pelo mal que há nelas, mas vence-o com o bem. Ensinar com persistência é ensinar todos os dias, várias vezes ao dia, de todas as formas possíveis.

III – Os pais ensinam por meio da disciplina (Ef 6.4)
“Vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.”
                Efésios 6.4 trata também sobre esse ensino persistente de Dt 6. Duas palavras se destacam aqui:
1 – disciplina: educação por meio de normas e regras, recompensas e, se necessário for, castigos.
2 – admoestação: educar eficazmente por meio da palavra falada, seja de ensino, advertência ou estímulo. Ao contrário do que se pode supor, a admoestação não é mais branda do que a disciplina; porque ela precisa ser intensa, e não apenas uma suave observa-ção do tipo: “Ai, ai,ai, não faça isso que Papai do céu não gosta”. Lembre-se do erro de Eli: não admoestar os filhos (1Sm 3.13).
Educar filhos não é fácil mesmo; e, para complicar ainda mais a situação, vivemos numa geração de pais fracos, que sempre decidem pelo caminho mais fácil: deixar que os filhos os vençam pelo cansaço. E é assim quando os filhos fazem pirraça e chantagem; é assim quando eles insistem em fazer o que querem, e insistem no erro: pais fracos se deixam vencer por essas coisas; e as crianças percebem as fraquezas dos pais e as exploram, como filhos de Adão, caídos em pecado, que elas são.
                Pais sábios, que querem a salvação das almas de seus filhos, não desistem e não se deixam vencer por nenhuma criança de dois ou três anos, porque sabem que se aos 4 ou 5 anos a criança manda, o que será quando tiver 15?
“A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela.” (Pv 22.15)
                Peça a graça e a ajuda de Deus. Faça o culto doméstico todos os dias. Leia bons livros para seus filhos, como o Peregrino de John Bunyan ou Um Guia Seguro Para o Céu, de J Alleine. E também conte comigo. Que tal, se você ensinar o Breve Catecismo aos seus filhos aos domingos? A cada semana, vou por um estudo sobre o catecismo no blog para ajuda-lo nessa nobre missão.
                Se você não tem filhos, fica o desafio de estudar o catecismo aos domingos para crescimento pessoal.

Rev. Maurício.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comemente à voltade, deixe críticas e sugestões. Só não publico comentários anônimos. se deixar seu comentário, deixe seu nome.