segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Algumas verdades sobre a verdadeira sabedoria: Porque precisamos dela, de onde ela vem e como obtê-la.

Tiago 1.5-18


O que é sabedoria? É mais que conhecimento. Sabedoria é o uso correto do conhecimento. Conhecimento é conhecer a Bíblia bem. Sabedoria é usar a Bíblia bem. Sabedoria é olhar para a vida com os olhos de Deus. Sábio é aquele que pratica a piedade e faz o que é agradável a Deus. Por isso o livro de Provérbios diz que o temor do Senhor é o princípio da Sabedoria.
Hoje, com base em Tiago 1.5-18, veremos Algumas verdades sobre a sabedoria: porque precisamos dela, de onde ela vem e como obtê-la.

I – A necessidade da sabedoria: precisamos da sabedoria ao passarmos por provas porque a nossa razão e sentimentos são avessos à idéia de que podemos ser felizes no meio de males
O alvo de Deus em nossa vida cristã é a maturidade (1:2-4,12; Rm 8:29; Cl 1:28). À medida que somos provados, precisamos pedir a Deus para nos mostrar o que ele está fazendo (1:5). Deus nos prova para nos fazer desmamar de atitudes infantis.
As provações revelam a nossa imaturidade e falta de sabedoria.
Quando estamos sendo provados, precisamos de sabedoria para não desperdiçarmos as oportunidades que Deus está nos dando para chegarmos à maturidade. Sabedoria nos ajuda a entender como usar as provas para o nosso bem e a glória de Deus. Exemplo: O testemunho de Paulo (Fp 1:12).
A sabedoria nos ajuda a entender que podemos crescer no meio das provas, e tendo em vista o resultado a ser obtido por meio das provações, a maturidade, alcançamos um estado de felicidade ainda enquanto estamos sendo provados.

II – A fonte da sabedoria: Deus é a fonte da verdadeira sabedoria
As provas nos levam a buscar a sabedoria em Deus que é a sua fonte e em sua palavra
Tiago nos ensina três coisas sobre Deus neste verso:
a) É da natureza de Deus dar (1:5) – Deus é a fonte da sabedoria. Ele é o doador.
b) A generosidade de Deus é ilimitada (1:5) – A generosidade de Deus não conhece limites na terra – É para TODOS. A generosidade de Deus não conhece limites no céu – Ele dá LIBERALMENTE.
c) A acolhida de Deus é garantida (1:5) – Deus não rejeita aquele que o busca (Sl 66:20).

III – Como obter a sabedoria: precisamos pedir com fé a Deus em oração
Tiago compara o homem que ora a Deus, mas duvida, a três figuras:
a) As ondas do mar (1:6) – É a pessoa que oscila entre fé e incredulidade, ânimo e desânimo, otimismo e pessimismo. Ora está no alto, ora no vale. Um dia fervoroso, outro dia abatido.
b) Duas mentes em um só corpo (1:6) – A palavra grega “duvidando” diacrimonai = duas mentes. É uma pessoa com duas mentes. A fé diz sim, mas descrença diz não. Uma hora ele diz sim, outra hora ele diz não. Exemplo: Pedro andando sobre o mar afundou quando duvidou.
c) Duas almas em um só corpo (1:8) – A palavra grega “dobre” dipsychoi = duas almas. Almas divididas. É tentar andar em dois caminhos. É tentar servir a dois senhores.
Tiago fala de dois resultados negativos ao crente que ora, mas duvida:
a) Fracasso na oração (1:6) – Ele não vai alcançar coisa alguma.
b) Inconstância espiritual (1:8) – Ele não vai chegar à maturidade, mas vai estar exposto aos ventos de doutrina (Ef 4:14). Há crentes que não se firmam na igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comemente à voltade, deixe críticas e sugestões. Só não publico comentários anônimos. se deixar seu comentário, deixe seu nome.