segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Dez Siclos e Uma Camisa

o que segue é uma das maiores mensagens que já tive o privilégio de ouvir:


segunda parte:

terceira parte:

quarta parte:

última parte:

Os Caçadores da Verdade Perdida

Abaixo segue comentário deixado no blog:
Gostaria de compartilhar um pouco da minha caminhada cristã, me converti em dez 98 [...] comecei em uma igreja neo pentecostal com todo tipo de campanha de corrente, mas uma coisa importante já tinha mudado em mim uma sede muito veraz pela palavra, comecei a ter entendimento da palavra e comecei a discordar de muita coisa que o lider pregava, pois estava contrario as escrituras as suas pregações a partir daí fui para uma pentecostal clássica [...] fiquei um período e fui para uma batista renovada parecida com a pentecostal,mas um periodo e fui para uma AD [...] fui para uma batista tradicional fui criticado por muitos amigos pentecostais mas mantive firme minha posição,foi ali que cresci muito mas na palavra através de estudos individuais e na EBD, lendo livros como de spurgeon sobre a eleição e outros participei de cultos de igreja que realizava comemoração a reforma [...] estudava muito a biblia em casa desde da minha conversão foi em desses estudos sobre a eleição que descobri a visão calvinista e foi como uma venda tirada dos meus olhos me maravilhei meu coração pulsou forte meus olhos encheram de lagrimas, durante esse periodo de uma igreja para outra passei identificar muitas heresias no meio do povo principalmente em vigilias pentecostais muita meninice algumas manifestações que me deixava com o pé atras [...]
o calvinismo que sempre foi passado para mim como heresia mas ningúem me engana mais hoje sou calvinista convicto e nenhuma argumento humano me fará mudar da minha confissão de fé tenho sido discriminado por alguns conhecidos pentecostais mas mantenho firme a minha convicção saí das fileiras arminianas busquei orientação com um amigão teólogo calvinista vizinho meu de como achar uma igreja de visão calvinista e me indicou a Igreja Presbiteriana do Brasil.
hoje estou congregando temporariamente na IPB São Gonçalo Com o Rev Sérgio Roberto Pinheiro Gomes eu minha esposa e duas filhas.pois assim que minha casa em itaboraí ficar pronta congregarei na IPB de Itaboraí pretendo me dedicar a obra de Deus dentro da minha convicção teólogica.na aréa de evangelismo e missões sei que aprenderei muito mais pois agora sim pretendo entrar num seminário e me dedicar ao ministério para o qual Deus Predestinou e me elegeu.
Aléx Sandro

 Este irmão, fez o caminho contrário ao que muita gente fez nos últimos anos (e muitos ainda o fazem), migrando de "igrejas" neo pentecostais, passando por pentecostais históricas, "tradicional" renovada e finalmente ingressando nas igrejas históricas.

Quantas pessoas no século passado se convertiam por meio do trabalho sério de igrejas históricas sérias e comprometidas com a palavra, e eram depois arrebatadas por movimentos "renovados", pentecostais, finalmente atingindo o extremo das "igrejas" neo-pentecostais?
Havia então, e ainda há da parte de certos crentes, um desinteresse profundo pela Palavra, e ênfase na experiencia pessoal, novas revelações e práticas não-ortodoxas, como o uso de "água ungida" (equivalente "gospel" da "água benta"), sal grosso, rosas e sabonetes.

Outro dia disse que acho que se Jesus esperar mais alguns anos para voltar, ele não vai achar igreja nenhuma na terra, pois a igreja terá acabado, engolida por valdemiros, macedos e afins, no seu paganismo, e pela aridez do secularismo que se faz sentir na igreja hoje. Uma irmã então disse: "Que isso pastor, Deus não vai deixar isso acontecer". Realmente, apesar da situação ser verdadeiramente séria e tenebrosa, não posso ser tão pessimista, se creio que Deus está no controle da História (fato é que Jesus disse que haverá pouca fé na terra, mas não nenhuma).

Penso que a história do Alex não é única; as práticas do neo-pentecostalismo chegaram a tal ponto que não apenas a IPB classificou este movimento como seita, mas os próprios crentes já o estão fazendo. A coisa chegou, no meio pentecostal e neo, a um nível tão anti-bíblico que hoje a maioria dos seus seguidores são não-crentes supersticiosos, que abandonaram, talvez só temporariamente, o culto a "padim ciço", em busca de algo que traga melhores resultados, já que este não tem feito chover ultimamente.

Tive um professor no seminário, de homilética, que é a arte da pregação (ele aliás é um ótimo interprete das Escrituras e pregador) que havia vindo de uma igreja neo-pentecostal para a IPB em busca da Palavra, havia sido pastor lá, mas se cansou de ungir cuecas (não é exagero não, ele ungiu até cuecas mesmo) e procurou uma igreja séria.

Quero crer que temos muitos Alex por aí, que se cansaram do que levou muita gente para longe da Bíblia: novas revelações? Que nada, eu quero a Revelação!!!; Praticas pagãs? Que nada, eu quero culto!!! Entrevista com o capeta durante o culto? Que isso, eu quero adorar a Deus!!! Pular, dançar, cair no chão e fazer trenzinho na igreja? Não, eu quero reverencia e temor diante daquele que é fogo consumidor!!! Musiquinhas melosas e repetitivas para fazer chorar? Isso não substitui a atuação do Espírito Santo!!! Riso santo? Eu quero é o choro contrito do arrependimento sincero!!! Teologia da Prosperidade? Pra que? Meu Senhor não tinha onde reclinar a cabeça!!!

Há um movimento contrário hoje; a ressurreição das antigas doutrinas da graça, do calvinismo, do culto bíblico governado pelo seu princípio regulador de que só podemos fazer no culto o que a Bíblia ordena. O oposto já se mostrou danoso demais.

Enquanto muitos estão buscando "coisas novas", outros, cansados, já começaram a buscar as "coisas velhas", do "Velho Evangelho"

Senhoras e senhores, a Bíblia está de volta!!!
Soli Deo Glória!!!

terça-feira, 1 de junho de 2010

Era uma Igreja Muito engraçada

 
 
Era uma igreja muito engraçada

Não tinha culto, não tinha nada.
 
Lá Deus não ouve minha oração

Só do apóstolo com sua unção.

O lenço dele é uma tristeza

Mas tá curando que é uma beleza.

Lá não se fala contra o pecado

Porque não rende nem um trocado.
E os seus membros tão enganados

Pois o Evangelho não é pregado.

E Cristo aqui é só um curandeiro

Que troca a bênção por seu dinheiro.

Lá nós falamos língua de anjos

Desde as crianças até os marmanjos.

E nessa igreja encontrei “vitória”

Mas eu não sei se vou para glória.

E abocanhado fui por um lobo

Que o tempo todo me fez de bobo…
 
(Extraído)


quarta-feira, 7 de abril de 2010

O DIABO E SUAS ARMAS



Quando eu era garoto e morava em Pedrinhas, em companhia dos meus pais e irmãos, fui muitas vezes com eles ao nosso sítio para “ajudar” no plantio das laranjas, milho, feijão, amendoim, etc. (...) Quantas lições preciosas eu guardo daqueles tempos na roça. “Turma” (era assim que meu pai nos chamava), vamos tirar
enxerto de passarinho?”. Lá íamos nós com uma tesoura de poda na mão, ou mesmo uma faca ou um facão, e subíamos na laranjeira, e tirávamos todos aqueles ramos intrusos que iam se enroscando pelos galhos da planta. Deixe-me explicar o que ocorria. O passarinho inocente, lindo e maravilhoso, fazia sua bela refeição de deliciosas sementes até se fartar. Finda a etapa digestiva, a necessitada ave alçava o seu bem-intencionado vôo até um dos galhos da árvore mais próxima, e poim! Lá estava o degético motículo, recheado de pequenas sementes pré-fermentadas e já adubadas, prontas para germinar e crescer. Esses ramos, se não extirpados pela raiz, logo cresciam e se multiplicavam com uma rapidez incrível, sugando a preciosa seiva da fruteira, sufocando os brotos saudáveis, formado uma capa (como um capacete) sobre a árvore, prejudicando a fotossíntese e, conseqüentemente, a morte da planta. Já cheguei a ver muitas árvores completamente tomadas por esses “enxertos” e mortas, secas. Depois de certa etapa no processo de cobertura desses ramos, não havia mais o que fazer, senão cortar a árvore e queimá-la.
Nós somos a árvore que Deus plantou no seu jardim que é a Igreja. Ele é o Agricultor. O anseio dele é que produzamos muitos frutos (Jo 15:5,6). É por isso que Ele cuida com tanto zelo daqueles que lhe pertencem. Limpa, poda, aduba e rega. O interessante é que os vendavais não metem medo a uma árvore bem plantada; o grande perigo começa com um simples, corriqueiro, sutil e “inofensivo” cocozinho deixado ali por uma aparente inofensiva ave. É exatamente assim que Satanás faz: rodeia e sobrevoa a nossa vida (Jó 1:6,7), tentando nos sujar com suas filosofias, éticas e teologias absurdas. Somos bombardeados diariamente com toda a sujeira proveniente do reino das trevas; se não nos limparmos constantemente com o “escovão” dos valores do Evangelho, ou usarmos a “tesoura de podar” da disciplina de Deus na nossa vida, o nosso fruto pode mirrar, a folha murchar e a raiz secar. A árvore precisa dos raios solares para o processo chamado fotossíntese. Da mesma forma nós precisamos da luz que vem do alto, da iluminação do Espírito Santo e de toda a ministração do Sol da Justiça para ficarmos firmes contra toda a investida do príncipe deste mundo. Meu irmão, não se escandalize, mas tire todo o “cocô” que porventura esteja grudado em sua vida: mentira, prostituição, lascívia, avareza, bebedeira, ciúmes, idolatria, adultério, etc... Tem muitos passarinhos querendo pousar em você? Isso é inevitável, pois estamos expostos aos ataques sutis de Satanás. Precisamos afugentá-los a todo custo. Sabe como? Precisa de armas? Ore mais, leia mais a Palavra, medite nela, santifique-se, não falte aos cultos. Isso será prevenção e cura para a sua vida.
----
Adaptado do boletim dominical da Igreja Presbiteriana da Bahia. Ano III; 21.02.2010 a 27.02.2010.
Rev. Itamar Santana Bezerra

domingo, 14 de março de 2010

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Em 2010 seja você também um Auxiliar!!!



Este é o esboço de uma mensagem que eu preguei na minha Igreja na vigília no fim de 2009. O texto básico é: Êxodo 18.13-26

Na maioria das Igrejas uns poucos trabalham enquanto os outros assistem. precisamos mudar isso. dentre nossas resoluções de ano novo, quero propor mais uma: 
Em 2010 seja você também um Auxiliar!!!
Talvez você me pergunte: porque devo eu me tornar um auxiliar na obra de do Reino?
Espero responder esta pergunta hoje.
Este texto nos mostra que precisamos nos tornar auxiliares na obra porque Na falta de auxiliares o trabalho se torna:

1 – DEMORADO (v.13 – “desde a manhã até ao pôr-do-sol”).
            Moisés se assentava de manhã para julgar as questões do povo; e assim permanecia, tanto ele quanto o povo até ao anoitecer.
            Muitas causas urgentes deixavam de ser julgadas por causa da imensa fila de processos e do acúmulo de trabalho.
            Assim também hoje o pastor não pode fazer tudo sozinho, nem uns poucos irmãos da liderança. Quando uns poucos fazem (ou tentam fazer) tudo sozinhos, as conseqüências são:
            - negligência para com a família (Ex 17.2 e 6)
                        Moisés enviou a esposa e filhos a Jetro e estava tão envolvido e desgastado no trabalho que não se preocupou em buscá-los, de tal forma que Jetro teve de levá-los até ele.
                        Isso também tem acontecido com muitos na obra do Senhor, que estão sobrecarregados.
            - pouco progresso na obra (demora)
                        A demora faz com que a obra ande lentamente e a igreja não cresça.
                        Você quer ver a Igreja crescer e a obra andar vigorosamente? Então arregace as mangas e ajude na obra.

Na falta de auxiliares o trabalho se torna demorado, mas também fica incompleto.

2 – INCOMPLETO (v.1 – “até ao pôr-do-sol”).
            O trabalho se prolongava durante o dia e parava ao anoitecer, sem que estivesse completa a obra.
            Não eram julgadas todas as causas
            Ficavam coisas importantes por fazer.
            Moisés passava o dia todo neste trabalho e faltava tempo para seu as outras atividades que ele tinha para fazer. Ele não era apenas o juiz. Era também o governador, o intercessor, o general e estrategista militar etc.
            Mas todo o seu tempo era tomado em apenas um aspecto do seu ministério os demais ficavam por fazer.
            No texto paralelo, de Dt 1.9-18 Moisés revela que o povo era imenso e diz: “Eu sozinho não poderei levar-vos (...). Como suportaria eu sozinho o vosso peso, a vossa carga e a vossa contenda?”
            - Quantos pregadores capazes, estão pregando sermões fracos por falta de tempo para prepara-los? Quantos não tem tempo para se dedicarem à oração e ao ministério da Palavra?
            - quantas coisas importantes deixam de ser feitas por causa da sobrecarga de trabalho sobre os líderes?
            PASTOR e LÍDER: “Você não pode levar este povo sozinho. Se você tentar faze-lo, a obra ficará incompleta”.
            IGREJA: “Não pense que cabe ao pastor ou liderança fazerem tudo sozinhos. Você tem que levar a carga junto com ele. A obra não pode ficar incompleta, por isso, ela precisará de mais do que apenas uns poucos”. Jesus disse que a colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos.

Na falta de auxiliares o trabalho se torna demorado, incompleto, mas também se torna desgastante.

3 – DESGASTANTE (v. 18 – “desfalecerás, tanto tu como este povo”)
“Desse jeito você vai ficar cansado demais, e o povo também.” NTLH.
            Não é apenas com a família que o líder pode se tornar negligente, mas também consigo mesmo: este trabalho era desgastante demais para Moisés, afinal ele já estava com 80 anos.
            - É desgastante para o líder ter de fazer tudo sozinho.
            - Mas é desgastante para a igreja também.
            - A obra é muito maior do que a capacidade de um só homem. ou de uns poucos líderes. Precisamos nos preparar para o crescimento da obra. Estar atentos às suas necessidades.

Na falta de auxiliares o trabalho também se torna impossível.

4 – IMPOSSÍVEL (v. 18 – “tu só não o podes fazer”)
                “Isso é muito trabalho para você fazer sozinho.” NTLH
                        O texto nos informa que há dois graves erros nos Moisés e o povo incorreram:
                        1 – Moisés achava que tinha de fazer tudo sozinho
                        2 – o povo achava que Moisés tinha de fazer tudo sozinho.
            É aí que entra Jetro com seu conselho sábio, vindo do Senhor, e diz: O que você está fazendo? Isto é impossível.
            Uma das grandes dificuldades em nossa igreja, que impedem o andamento da obra e o crescimento da igreja é o pensamento de que o pastor deve fazer tudo e os pobres membros da igreja, que nada sabem nada podem fazer.


            Vimos que não cabe ao pastor fazer tudo e não cabe a ele fazer sozinho; pois o trabalho se torna: Demorado, incompleto, desgastante e impossível. Alguém poderia perguntar: O que, então, cabe ao pastor? O que é de sua competência? O que deve ele realizar? O que o pastor deve fazer? se eu for um auxiliar na obra, o que o pastor vai fazer?
Eis algumas das competências do pastor, e líderes, que o texto aponta:

1 – INTERCEDER PELO POVO (v. 19 – “representa o povo perante Deus, leva suas causas a Deus”)
            Quando surgiu um problema na Igreja primitiva em At 6, com relação à Assistencia Social, os Apóstolos disseram: “Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas”; então ordenaram que se escolhessem auxiliares para este trabalho e disseram: “e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra”.  (At 6.2 e 4)
            Esta atitude se assemelha à de Jetro que diz à Moisés: Não é sua responsabilidade julgar todas as causas, fazer tudo... é sua responsabilidade interceder pelo povo perante Deus.
            Muitas vezes o pastor e líder tem de gastar tempo fazendo o que os outros poderiam fazer, e não tem tempo para fazer o que só ele poderia fazer.
            Quando o pastor e o líder faz tudo:
                        - tem uma agenda cheia
                        - muitas tarefas e realizações
                        - como consequencia: não tem tempo para orar
                        - tem um ministério pouco frutífero
            Se você acha que a oração não é importante, lembre-se que George Muller sustentou vários orfanatos só com oração. J. Edwards orou vários dias seguidos antes de pregar seu famoso sermão: "Pecadores nas mãos de um Deus irado", e a resposta de Deus foi um grande Avivamento. Spurgeon, o Príncipe dos Pregadores  disse que o pastor deve astar mais tempo intercedendo pela mensagem do que preparando e pregando. John Bunyan disse: "você pode fazer muita coisa depois que tiver orado, mas não pode fazer nada até que tenha orado".
            
Outra competencia do pastor, além de orar, é a pregar:

2 – PREGAR O EVANGELHO (v. 20 – “ensina-lhes os estatutos e as leis e faze-lhes saber o caminho em que devem andar e a obra que devem fazer”)
            At 6 – “e ao ministério da palavra”.
            Havia algo que naquele momento só Moisés poderia fazer, era ensinar a Lei de Deus ao povo. No entanto, ele não tinha tempo para isto.
            É tarefa do pastor pregar a Palavra de Deus. Ninguém na igreja estará tão bem preparado quanto ele para tal. Mas para isto ele precisa de tempo: para estudar e para preparar.
                        PASTOR/LíDER: dedique tempo ao preparo e estudo.
                        IGREJA: valorize o tempo gasto pelo pastor e dê o auxílio para que ele tenha o máximo de tempo para preparar seus sermões e estudos.


Outra competencia do pastor, além de orar, e pregar é treinar líderes e delegar poderes:


3 – TREINAR LÍDERES E DELEGAR PODERES (v. 21 E 22 – “Procura dentre o povo homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborreçam a avareza; põe-nos sobre eles por chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinqüenta e chefes de dez para que julguem este povo em todo. Toda causa grave trarão a ti, mas toda causa pequena eles mesmos julgarão; será assim mais fácil para ti, e eles levarão a carga contigo”)
            O maior desafio para Moisés era encontrar e preparar homens capazes para que exercessem, juntamente com ele, tarefas que poderiam ser delegadas.
                        O pastor deve procurar, encontrar talentos e futuros talentos e treina-los para serem líderes na obra de Deus.
                        Este é o maior desafio hoje: as pessoas não estão interessadas em trabalhar na obra.
                        É difícil encontrar na igreja pessoas capazes, que tenham o temor do Senhor e que não se deixem dominar pela soberba, avareza, arrogância.

CONCLUSÃO:
            Aquele conselho não vinha de Jetro, (v. 23) era ordem de Deus.
            v. 23 e 24 – Moisés fez o que Deus mandou, precisamos fazer também!!!
            v. 25 e 26 – Igreja – Deus tem te chamado:
                        - para chefe de mil? De cem? de dez?
                        - qual tem sido a sua resposta?
Não tenho tempo?
Se não for para chefe de mil eu não quero?
            Talvez você já seja "chefe", mas não esteja satisfeito; queria mais; mas Deus só vai te colocar no muito, quando você for fiel no pouco.
            Talvez você não trabalhe como deveria por que pensa: "Isto é tarefa do pastor". Você está enganado, isso é tarefa sua!!!
Hoje os líderes são chamados a renovar seu compromisso de liderança. Você que é membro é chamado a se colocar a disposição de Deus para ser usado.
            - Trabalhe, tendo consciência do seu potencial: Se Deus te chamou, você pode
            - Reconheça as suas limitações. Talvez Deus te chame para chefe de mil, ou  de cem,  ou dez; mas ele faz isso segundo a sua capacidade ou limitações. trabalhe fielmente. 

No tempo de Moisés, nem todos recebiam o Espírito Santo, mas os que recebiam, não podiam ficar de braços cruzados, tinham que se tornar auxiliares na obra. Hoje, a obra é muito maior do que a de Moisés, e o Espírito Santo é dado a todo crente, por isso, não cruze os braços.
Em 2010, o que eu espero da Igreja é que todo crente seja um Auxiliar!!!