quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Dons miraculosos - estudo 8 - A Posição Oficial da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) sobre os dons miraculosos (parte 1)


Tendo visto, de um modo geral, o ensino bíblico sobre os dons miraculosos, como pastor da IPB, quero mostrar que esta não é apenas a minha opinião, mas da Igreja.
 



A Confissão de Fé de Westminster: (Este é um dos símbolos de fé da nossa Igreja)
Revelação:
          “(...) foi o Senhor servido, em diversos tempos e diferentes modos, revelar-se e declarar à sua Igreja aquela sua vontade; e depois (...) foi igualmente servido fazê-la escrever toda. Isto torna indispensável a Escritura Sagrada, tendo cessado aqueles antigos modos de revelar Deus a sua vontade ao seu povo” (Capítulo I, secção I).
          “(...) À Escritura nada se acrescentará em tempo algum, nem por novas revelações do Espírito, nem por tradições dos homens (...)” (Capítulo I, secção VI).
          “(...) o Juiz Supremo em cuja sentença nos devemos firmar não pode ser outro senão o Espírito Santo falando na Escritura.” (Capítulo I, secção X).

          RESUMINDO: A Confissão de Fé da Igreja diz sobre a continuidade da revelação:
          1 – Deus já revelou toda a sua vontade ao seu povo (ele não tem mais nada a acrescentar ao que já disse).
          2 – Esta vontade revelada se encontra toda escrita na Bíblia.
          3 – Nada deve ser acrescentado; nem mesmo o Espírito Santo o fará.
          4 – O Espírito Santo fala hoje somente na Palavra.
          5 - Aqueles antigos modos de Deus revelar sua vontade (línguas, revelações, profecias, urim e tumim, sonhos) cessaram.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comemente à voltade, deixe críticas e sugestões. Só não publico comentários anônimos. se deixar seu comentário, deixe seu nome.