domingo, 13 de setembro de 2009

Claudicância e Filiação


Como Cláudio, claudicante caminhei;

Um amputado, aleijado de nascença.

Claudicamente me arrastando pela vida;

Uma ‘desvida’, descabida, desmedida.


Coxeando, claudicando nos caminhos,

Nas beiradas, nas esquinas e nos becos;

Sem passado, sem futuro, nem presente;

Foi meu presente uma vida miserável.


Miserável, aleijado, pecador!

Carregado e me arrastando à cruz cheguei.

Aos pés da cruz olhei pra cima e vi o Filho;

O Deus que se fez Cláudio em meu lugar.


Cheio de fé, chorei, me levantei;

De pé, corri, pulei, gritei:

O Filho se fez Cláudio...

O Cláudio se fez filho...

E ambos morreram sobre a cruz!



Obs: Claúdio significa coxo.


Bom Jesus do Itabapoana, 09 de Janeiro de 2005 (dia da minha ordenação ao ministério pastoral), às 09h50min.

Em homenagem ao meu irmão Cláudio, que foi um dos primeiros que Deus chamou através do meu chamado. Esta é a história de todo aquele que foi alcançado pela salvação. A Deus toda glória.

Maurício de Almeida Soares

Um comentário:

  1. Lndíssima poesia! A Graça de Jesus é maravilhosa e suas misericódias nos alcançam todos os dias! Que o Senhor Jesus continue te abençoando sempre, para que como fostes incessante nas orações pela vida do Cláudio, outras tantas vidas mais se acheguem ao Deus Verdadeiro e Real através dos seus dons e talentos, e do ministério que um dia Ele te chamou. Um grande abraço, com carinho da sua cunhada "mais querida" (rsrsrsrs) Mayana.

    ResponderExcluir

Comemente à voltade, deixe críticas e sugestões. Só não publico comentários anônimos. se deixar seu comentário, deixe seu nome.