segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Minhas sinceras desculpas aos adeptos da Teologia da Prosperidade


Sempre fui um crítico ferrenho da teologia da prosperidade, por que não via para ela base bíblica.

Mas agora tudo isso mudou; de repente compreendi o quanto estava enganado. Gostaria de compartilhar aqui minhas descobertas das evidências bíblicas da Teologia da Prosperidade, dando exemplos de pessoas que prosperaram nas Escrituras:

1 – Jesus: quando começou seu ministério não tinha onde reclinar a cabeça; mas, três anos depois, ele foi sepultado num túmulo novinho em folha escavado na rocha (isso era a Ferrari dos túmulos da época). Ele ficou tão rico que tinha até tesoureiro pra cuidar de seus recursos (Jo 13.29).

2 – Paulo: Este sim enriqueceu e muito; disse que tinha experiência tanto de fartura quanto de escassez; certamente que a fartura ele teve depois da conversão e a escassez antes. Além de ter viajado pelo mundo inteiro, fez cruzeiros pelo Mediterrâneo e, no fim da vida, morou numa casa na capital, com guarda-costas à sua disposição 24 horas por dia (At 28.16 e 30).

3 – Apóstolo João: Esse foi o que mais se deu bem na vida por causa do Evangelho. Como crente não fica doente, morreu de velhice. Morou à beira-mar, numa ilha, igualzinho o Ivo Pitangui. Ô vida mansa (Ap 1.9).

Mas essa prosperidade toda não ficou só lá no primeiro século da era cristã; hoje vemos a prova clara de que a Teologia da Prosperidade funciona mesmo: o Valdemiro, o Macedo, o Marcos Feliciano (e tantos outros) estão podres de rico.

E aí? Vamos comprar a Bíblia de R$ 900,00 do Malafaia para receber toda esta unção financeira?

Autor: Maurício

Um comentário:

  1. Muito bom este texto Mauricio.
    Acho q vou querer republicar este tb lá no eclesia... rsrsrsrs.
    Abraço.
    Marcelo.

    ResponderExcluir

Comemente à voltade, deixe críticas e sugestões. Só não publico comentários anônimos. se deixar seu comentário, deixe seu nome.